História da profissão de Tapeceiro e história da tapeçaria

O sofá é um dos nossos móveis preferidos da casa, onde recebemos a família e os amigos. Ele normalmente é feito com uma estrutura de madeira, molas, camada de tecido resistente, camadas de espuma, manta acrílica, correias elásticas e os tecidos de cobertura. Se você deseja saber tudo sobre sua estrutura ou saber mais sobre a história da Tapeçaria, então não deixe de ler até o final!

O estofado foi criado como uma espécie de trono para os nobres e os governantes árabes desde a antiguidade. Em Roma, três sofás eram colocados em volta de uma pequena mesa onde os homens descansavam enquanto comiam.

Os primeiros sofás foram feitos por árabes

Foram os árabes a surgir com os primeiros sofás para seus sultões como se fosse um trono. Eram cadeiras com almofadas e panos para deixá-los mais confortáveis.

Os romanos começaram a usar o que é mais parecido com os sofás de hoje: o Triclinium. Ele ficava nas salas de jantar, onde apenas os homens que pertenciam a escala mais alta da sociedade romana, comiam, conversavam e recebiam convidados. O sofá era um artigo de luxo e, isso só mudou, com a revolução industrial que os tornou mais acessível.

Sofá Triclinum
Este é o sofá Triclinum

Com sua popularização o sofá passou a ter um espaço próprio nas salas, quartos, terraços, jardins, onde a família passou a se reunir para desfrutarem juntos algum tempo. A história da tapeçaria é de longa data.

Se você deseja reformar, higienizar o seu sofá, então que tal nos enviar as fotos do seu estofado para um orçamento sem compromisso? Basta clicar no botão abaixo para enviar pelo Whatsapp, ou clique aqui para enviar por e-mail!

Botão do Whatsapp

Tanto é assim que se transformou no centro de muitas cenas de séries e filmes já míticos, onde toda a trama se desenvolve à volta dele.

Tipos de sofás ao longo da história

Chaise-longue

Seu formato é como o de uma espreguiçadeira, abrigando uma pessoa com conforto e as pernas estendidas. Dentro da história da tapeçaria este sofá sempre foi muito utilizado pelos reis e imperadores antigos.

Canapé

Ele surgiu no século XVIII na França, se tornando popular nos Estados Unidos no século posterior. Era ornamentado de madeira que tinha três lugares com estofado, braços e encosto.

Divã

Ele tem origem no Oriente Médio, sendo acolchoado sem encosto, com um braço mais elevado e inclinado para apoiar a cabeça. No contexto da história da tapeçaria, este sofá é bastante utilizado por psicólogos ou psicanalistas na consulta com seus pacientes

Récamier

É parecido com o chaise, possuindo encosto em ambas as extremidades, mas com diferença de ter uma cabeceira mais alta e curvada em um dos lados. Ele ficava próximo às escadas para que as mulheres que usavam um espartilho pudessem descansar.

Futon

Surgiu no Japão, tendo um colchão de algodão ou lã, em uma estrutura de madeira e que pode virar uma cama.

Sofá-cama

Ele tem duas funções em uma só peça, sendo popular para as residências mais compactas. É bastante útil para receber visitas quando não se tem uma cama,

Estofamento e tapeçaria – História da Tapeçaria

Antigamente, os arquitetos podiam desenhar os cômodos, mas só os estofadores tinham o poder de decisão final. No séc. XVIII, eles eram responsáveis pelo estofamento, dosséis, tapetes para o chão paredes, cortinas, etc., e pela posição de cada peça no cômodo. Cada uma dessas peças valia fortunas.

O alto valor monetário da profissão de estofador em relação aos outros artesãos foi aumentando mais conforme a ligação com os clientes foram se tornando mais forte.

Na época medieval, cortinas, almofadas e tapeçarias de parede eram parte das residências da nobreza europeia, mas as cadeiras com enchimento e tecidos nas suas armações, só começaram a ser usadas no sec. XVI com maior aceitação no séc. XVII. Os sofás do séc. XVIII possuíam almofadas encaixadas e braços estofados em crina de cavalo, sendo mais confortáveis com coxins de basteamento e preso por fitas.

História da Tapeçaria - Cortina medieval
Cortina Medieval

No séc. XIX, o estofamento se tornou mais espesso, e os pespontos grossos nos sofás substituídos por botões, que mantinham o enchimento mais firme. Na década de 1840, na história da tapeçaria, surgiram as molas de fio de metal, se tornando muito usadas nos sofás que não mais mostrava a armação do assento.

Tapeceiros nos dias atuais

Reforma de sofá na Zona leste em Cangaíba
Equipe da Tapeçaria Incanto recolhendo um sofá

A profissão do tapeceiro não existia legalmente nos órgãos governamentais do nosso país, a história da tapeçaria é de longa data mas a profissão sequer tinha direito a piso salarial, carreira ou adicional de insalubridade. Mas a alguns anos atrás, a profissão foi regulamentada.

Os estofadores de hoje, reestruturam armações de sofás, poltronas, bancos, assentos, colchões, puffs, encostos e assentos para alvenaria, macas, cabeceiras de cama e, etc. Eles têm a responsabilidade de planejar, cortar e costurar tecidos para capas

Um bom estofador analisa o trabalho, antes de escolher o material para enchimento de acordo com funções específicas, determinando espessura, densidade e fixação; como fixar, prender e calibrar a suspensão do móvel.

Este hábito foi criado ao long dos anos no desenvolvimento da história da tapeçaria, pelos estofadores e tapeceiros profissionais que faziam trabalhos para os magnatas, para a igreja, para imperadores e reis…

Outras responsabilidades do Tapeçeiro –  História da tapeçaria

Eles desenvolvem o modelo com seus revestimentos exatos em qualquer tipo de estofado moveleiro, automotivo, náutico ou aeronáutico.

Eles precisam saber lustrar e polir madeira corretamente e de acordo com o tipo de móvel confeccionado.

Eles devem calcular e fazer todas as medições das peças que serão costuradas para a produção das capas fixas ou avulsas, sempre evitando o desperdício do material utilizado para a confecção.

Eles têm o dever de fazer a elaboração de orçamento por escrito aos clientes, discriminando todo o material que foi preciso durante a execução do serviço.

Também é seu dever garantir a segurança do consumidor final durante o uso do móvel que foi confeccionado para o cliente

By | 2019-01-29T18:04:55+00:00 janeiro 29th, 2019|Sem categoria|